Polícia

Delegado Barêtta confirma a morte da estudante Camilla Abreu

Foto: Facebook

O delegado Francisco Costa, o Barêtta, confirmou na manhã desta terça-feira (31) a morte da estudante de direito, Camilla Pereira de Abreu, de 22 anos. A vítima foi vista pela última vez há cinco dias na companhia do namorado, o capitão da Polícia Militar do Piauí, Allisson Wattson da Silva Nascimento.

Conforme o delegado Barêtta, a partir do momento que a Delegacia de Homicídios assumiu o caso, os agentes e o delegado Emerson refizeram todo o trajeto que Camilla fez desde o momento que ela acordou na quarta-feira (25), até o momento em que ela desapareceu. “Trabalhamos intensamente e a fase de coleta de indícios está se finalizando. Infelizmente o que podemos dizer para a sociedade piauiense é que a jovem sofreu uma ação criminosa. Ela está morta. Temos uma ocultação de cadáver, tomara que sem a destruição de cadáver. Temos uma o. Verificamos tudo que aconteceu naquela madrugada”, confirmou o delegado.

“A autoria está se desenhando, nós precisamos só fechar a motivação, essa motivação é subjetiva, mas ela é muito importante porque nenhum crime doloso é praticado sem motivo, e também as circunstâncias que ele foi praticado. A gente não pensa no nome de um criminoso, e sim, as circunstâncias é que nos levam ao criminoso”, finalizou.

Investigações

A jovem desapareceu na quarta-feira (25). Ela foi vista pela última vez na zona leste de Teresina, na companhia do namorado, o capitão Allisson Wattson da Silva Nascimento. Ele ficou incomunicável durante dois dias e na sexta reapareceu, afirmando que não sabia da moça.

Um amigo da jovem desaparecida disse ao GP1 na manhã desta segunda-feira (30), que a polícia procurou o namorado de Camilla para periciar o carro, porém, ele disse que havia vendido o veículo na sexta (27) e, ao ser questionado para quem havia vendido o carro, ele disse que não lembrava.

Pai fez apelo ao policial

O pai da jovem, Jean Carlos Rodrigues, muito emocionado, fez um apelo nessa segunda-feira para o policial militar Allisson Wattson. “Queria que ele dissesse onde minha filha tá, o que ele fez com ela, só ele pode dizer. Ele era pra ser o primeiro a comunicar para polícia, era o primeiro para está em campo atrás da namorada. Mas o homem sumiu. Não aparece”, desabafou.

Fonte: GP1 (http://www.gp1.com.br/noticias/delegado-baretta-confirma-a-morte-da-estudante-camilla-abreu-423081.html)

Comentários