Piauí

Rodoviários do Piauí paralisam atividades por falta de pagamento

Os trabalhadores das empresas de ônibus intermunicipais realizaram uma paralisação na manhã desta quinta-feira (22/06), em protesto contra os atrasos nos pagamentos por parte dos empresários. A paralisação termina às 12h desta quinta-feira (22/06) e a categoria pretende paralisar por mais tempo, caso a situação não seja regulamentada. 15 empresas e cerca de mil funcionários participam da manifestação.

15 empresas paralisaram as atividades (Foto: André Luis/OitoMeia)

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Rodoviários do Piauí (Sintetro), Fernando Feijão, explica ao OitoMeia que a categoria já está a bastante tempo tentando resolver a situação dos atrasos. “Nós já estamos a mais de um ano batendo nessa questão de atrasos de salários, todos os meses as empresas não conseguem honrar com os seus compromissos, e ai os trabalhadores continuam trabalhando, sem dinheiro se quer para se alimentar em outras cidades, uma situação caótica, eles deixam suas famílias em Teresina desprovidas”, diz. Feijão também afirma que as empresas estão cortando os planos de saúde dos trabalhadores.

Fernando Feijão, presidente do Sintetro (Foto: André Luis/OitoMeia)

O cobrador Francisco da Chagas diz que sempre recebe o salário com mais de 15 dias de atrasos, e que isso prejudica sua situação, pois a contas atrasam. “Nosso problema é o atraso do salário e também do ticket alimentação além do excesso de jornada. Meu salário é para sair até o quinto dia útil, e eu chego a receber às vezes até no dia 20, e isso prejudica a situação na minha casa porque eu atraso as contas”, desabafa.

O que dizem as empresas 

As empresas de transportes estão cientes de todas a reivindicações dos trabalhadores, inclusive alguns empresários estiveram na paralisação dando apoio aos rodoviários. No entanto eles alegam que a crise financeira no país e principalmente a quantidade de ônibus clandestinos no estado estão trazendo dificuldades para honrar seus compromissos.

“Nós tentamos  por meio do diálogo tentar suspender essa paralisação, mas infelizmente chegou a esse ponto. Há muito tempo ele vinham reclamando dos atrasos. Mas a gente tem trabalhado para tentar honrar todos os nosso compromissos, mas infelizmente a situação financeira hoje das empresas não permitem”, argumentou o presidente do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Piauí, Gleison Barros, ao OitoMeia.

Gleisson Barros é empresário e reclama da situação financeira das empresas do setor (Foto: André Luis/OitoMeia )

Ônibus clandestinos prejudicam 

Tanto os empresários quanto os rodoviários concordam que os ônibus clandestinos prejudicam a categoria, pois isso faz com que as pessoas deixem de usar os transportes das empresas e assim elas ficam no prejuízo e tem dificuldades para pagar os trabalhadores. Gleisson Barros diz que falta fiscalização do estado. “O transporte clandestino está atuando livremente, eles retomaram a pouco as fiscalizações mas ainda de maneira muito tímida. A fiscalização está só nas PIs, tem que ir também para as BRs, e tem que ser diárias”, afirma.

Fonte: OitoMeia

Comentários

Tags

Moisés Pontes

Moisés Pontes atualmente é estudante de enfermagem pela Faculdade FAMEP. Iniciou sua carreira profissional como colunista jornalístico em 2013 no site de notícias local Amarante Net a convite do atual prefeito Luiz Neto (PSD). Em 2014, recebeu o convite para assumir no Portal JN (Teresina) a coluna Informe Amarante com notícias do município e região.

Atualmente também presta serviços como assessor de imprensa político e colaborador da AD Publicidade de Teresina. A convite da deputada e secretária de infraestrutura, Janaínna Marques, Moises recebeu a presidência do PTB Jovem Amarante tornando-se adjunto ao atual presidente Dr. Ítalo Queiroz (PTB Amarante).

Trabalhou em 2015 como TARM-Técnico Telefonista Auxiliar de Regulação Médica do SAMU Amarante.

Sobre sua paixão por jornalismo, Moisés Pontes foi orientado e instruído pelo jornalista, advogado, professor e historiador cultural Virgílio Queiroz, ator do filme Aí Que Vida de Cícero Filho. Moisés Pontes tem como meta no futuro próximo, criar um site e assessoria de mídias e notícias em saúde devido sua paixão por enfermagem e jornalismo.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close