DestaqueGeralÚltimas

Técnico compara atitude de prefeito de Amarante com velha política do pão e circo

O técnico agrícola, natural de Amarante, José Augusto publicou um texto crítico sobre comparando atual gestão do prefeito Diego Teixeira em relação as últimas atitudes escancaradas do gestor em tentar realizar o tradicional Zé Pereira de Amarante, evento que acontece anualmente, em ações apoteóticas para distrair a população das reais condições sociais e econômicas em que vive o município.

José Augusto ainda disse que na sua opinião política que tais festividades trazem dividendos ao município.

Reprodução Facebook

Reprodução descritivo

AMARANTE – “A nova administração” e a velha política do pão e circo.

A expressão Pão e Circo ( do Latim Panis et circenses) define uma situação politica na qual o governante promove festejos e ações apoteóticas para distrair a população das reais condições sociais e econômicas em que vive o município, o estado ou país especialmente em época de crise.

É obvio e assim eu penso que as festividades trazem dividendos ao município, fomenta o comércio local, gera empregos, atraem turistas e foliões, além de trazer um clima de alegria à cidade. Porém, com a arrecadação dos governos diminuindo, o corte de gasto sendo aplicados, e as despesas aumentando, é necessário muita prudência.

Mas em Amarante assim como na Roma Antiga, o César (prefeito da cidade) promoveu carnaval ou zé pereira como queiram para ludibriar a plebe rude, incluindo a distribuição de prêmios e bebidas aos espectadores, que hoje em sua grande maioria se encontram sem perspectivas de melhoria de vida. O prefeito de Amarante e de outros municipais, em sua maioria, podem ser considerados os novos césares, especialmente em um ano pós eleitoral.

O que mais chama atenção é que a “grande festa do zé pereira” nada combina com os locais e as fotos “seletivas” mostradas aos auditores do TCE pela “Nova Administração” quando da visita forçada e incômoda em cumprimento a denuncia do vereador Rudyfran Ferreira Ferreira ao TCE.

O que ocorreu no festivo Zé Pereira de Amarante neste ano mostra o quanto essa prática ainda permanece, mesmo em ano de crise política e econômica. Ficou notório o caso em que a prefeitura pagou prêmios e cachê a blocos e bandas do forró, axé musicos, de arrocha e outras mais, e segundo o Secretário de Cultura esses valores (não se sabe quanto) foram “frutos” de emenda parlamentar (que também não se sabe quanto) e o povo não sabe porque não existe transparência na “Nova Administração”. Mais isso é outra discussão. Com a palavra a Câmara Municipal de Amarante, alô, Atenção Vereador Rudyfran Ferreira.

A crise politica atual mostra que o país está gritando por mais ética, mais cidadania e mais justiça. O povo quer ver o dinheiro público usado da melhor maneira possível, sobretudo na Educação e Saúde. É necessário que prefeitos sejam mais transparentes e que tenham a coragem de cancelar, se necessário, os eventos festivos, sejam eles micaretas, festa de aniversário da cidade, quando a realidade do município assim demandar. Ou então, realizar os festejos com racionalidade, austeridade e com os “pés no chão”, preferencialmente contratando os artistas locais, o que estimulará a economia e a cultura local.

Ou então, promover parcerias com empresas privadas para que as mesmas invistam nas festividades. Sei que não é fácil decisões como essas. Não dá voto. Parte do povo quer mesmo é festa. Mas só assim é que educamos nosso povo, principalmente com exemplos que vem de cima, que vem das autoridades e dos grandes líderes.

– Texto: José Augusto Cabeça

 

Comentários

Moisés Pontes

Moisés Pontes atualmente é estudante de enfermagem pela Faculdade FAMEP. Iniciou sua carreira profissional como colunista jornalístico em 2013 no site de notícias local Amarante Net a convite do atual prefeito Luiz Neto (PSD). Em 2014, recebeu o convite para assumir no Portal JN (Teresina) a coluna Informe Amarante com notícias do município e região. Atualmente também presta serviços como assessor de imprensa político e colaborador da AD Publicidade de Teresina. A convite da deputada e secretária de infraestrutura, Janaínna Marques, Moises recebeu a presidência do PTB Jovem Amarante tornando-se adjunto ao atual presidente Dr. Ítalo Queiroz (PTB Amarante). Trabalhou em 2015 como TARM-Técnico Telefonista Auxiliar de Regulação Médica do SAMU Amarante. Sobre sua paixão por jornalismo, Moisés Pontes foi orientado e instruído pelo jornalista, advogado, professor e historiador cultural Virgílio Queiroz, ator do filme Aí Que Vida de Cícero Filho. Moisés Pontes tem como meta no futuro próximo, criar um site e assessoria de mídias e notícias em saúde devido sua paixão por enfermagem e jornalismo.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close