DestaquePolíciaÚltimas

Soldado acusado de matar em Teresina já torturou no interior do Estado

Terá vida curta a carreira do soldado Igor Gabriel de Oliveira Araújo na PM. Formado em Teresina no dia 2 de outubro, em menos de cinco meses, ele já apresenta na ficha homicídio, tortura e ameaça. O último, o assassinato ocorrido na madrugada do último dia 20 de fevereiro em Teresina, ele matou Alan Lopes. Parte dos crimes cometidos já em parceria com Marcos Diostene, o filho do prefeito Dióstenes José Alves (PP) de Avelino Lopes.

Com apenas dois meses na Polícia Militar, o soldado entrou na mira do Ministério Público depois de uma abordagem no município de Parnaguá.

À esquerda o soldado Araujo, à direita a vítima, Alan Lopes Rodrigues

Na ocasião, câmeras de segurança flagraram a perseguição a um comerciante e em seguida a agressão. O rapaz, que não teve a identidade revelada, não teria obedecido a uma ordem de parada por confundir os policiais, que gritavam e atiravam, com criminosos. Ele foi agredido com chutes, socos e pontapés. A  agressão cessou quando os PM’s tomaram conhecimento que o jovem não era um criminoso.

O comerciante registrou um boletim de ocorrência na delegacia de Corrente e o MP foi acionado, e a promotora responsável chegou a pedir a prisão preventiva dos PM’S, mas o caso não chegou a Corregedoria da PM.

Já no município de Avelino Lopes, na companhia do filho do prefeito, o PM foi acusado de ameaçar a dona de uma construtora. O crime está sendo investigado pelo Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco). O boletim de ocorrência foi registrado no dia 4 de fevereiro e parte do inquérito enviado para a Polícia Federal.

Além desses crimes, no dia do homicídio no posto de gasolina na zona leste de Teresina, testemunhas confirmam que o policial, teria feito uso de cocaína poucos minutos antes do crime.

Apesar da extensa lista de crimes, a corregedoria da PM tomou conhecimento apenas do homicídio. Segundo o comandante geral da Polícia Militar do Piauí, coronel Carlos Augusto, já foi instaurado um processo no Conselho de Disciplina da Polícia Militar que avaliará o caso.

“O processo será julgado e ele poderá ser excluído da corporação em 30 dias”, declarou.

Já o inquérito do crime, segundo informações da Polícia Civil, foi concluído e remetido à justiça.

Crime
Alan Lopes Rodrigues foi morto na madrugada do dia 20 de fevereiro, em Teresina, depois de se envolver em uma confusão com o filho do Prefeito da cidade de Avelino Lopes. O rapaz teria sido baleado e morto pelo soldado da PM-PI, lotado em Avelino Lopes, Igor Gabriel de Oliveira Araújo, que fazia a segurança do filho do prefeito.

A briga teria começado em uma casa de shows e seguido até uma loja de conveniências num posto de combustível, aonde o crime aconteceu. Segundo a polícia, eles chegaram a discutir e o policial atirou contra a vítima.

Igor Gabriel está detido no presídio da Polícia Militar à disposição da Justiça.  Em seu depoimento, o soldado alegou legítima defesa. Caso seja expulso da corporação, Igor permanecerá preso e será encaminhado para a Casa de Custódia.

Fonte: Portal AZ | Veja mais matérias relacionadas:
“PM que matou jovem está em estágio e pode ser expulso”, diz comandante
PM faz segurança de filho de prefeito e mata jovem em Teresina

Comentários

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close