CidadesDestaquePolíticaÚltimas

Vereadores denunciam “farra” na educação de Barro Duro-PI

O município de Barro Duro, pequena e pacata cidade, distante 96Km da Capital do Estado do Piauí, vive um dilema, professores que têm vencimento básico abaixo do salário mínimo questionam a implantação do piso salarial atualmente regulamentado pelo MEC, e o gestor do município argumenta insuficiência financeira para pagamento do referido piso.

Baseado nesse dilema, alguns vereadores resolveram ir a fundo nessa “insuficiência financeira” da Secretaria de Educação, e não foi bem isso que encontraram nos balanços do referido órgão: Funcionários fantasmas, desvio de função, gratificações indevidas, aluguel de carro que não existe, entre outras “farras” foram encontradas.

Nas notas encontradas aparece uma nota fiscal de aluguel de um carro exclusivo para a Secretaria de Educação, com valor mensal de R$ 6.250,00 (IMAGEM 1). No mesmo balanço são encontrados os nomes da Professora Conceição Amorim (IMAGEM 2) que já vive a mais de dois anos em São Paulo, e de uma Orientadora Educacional Carmen Dolores Dias Melo (IMAGEM 3), que é parente próximo do atual vice prefeito e que não reside no município e que nunca foi vista em nenhuma escola do município nessa gestão.

Outro caso de malversação, segundo os vereadores que fizeram a denúncia, é que os funcionários Aroldo Pereira de Sousa (IMAGEM 4) e Geânia Pessoa dos Santos (IMAGEM 5), esposa do ex-candidato a prefeito do atual gestor, portanto ex-postulante a primeira dama do município, foram cedidos para outras secretarias e ainda recebem Regência de Classe que é para professores que estão dentro da sala de aula, sendo que o ônus de ambos os funcionários também é pago pela Secretaria de Educação, totalmente em discordância com o plano de carreira do magistério do município:

“Parágrafo único. Em casos excepcionais, a cessão poderá dar-se com ônus para o ensino municipal:

I – quando se tratar de instituições privadas especializadas sem fins lucrativos e com atuação exclusiva em educação especial;”

Na denúncia que está sendo encaminhada ao Tribunal de Contas, ainda demonstra uma série de diárias concedida a ex-postulante a primeira dama (IMAGEM 6), que exerce sua função como coordenadora no CRAS em uma série de viagens dentro de um mesmo mês que já estão sendo investigadas.

E não é só isso, no caso mais esdrúxulo, a filha do prefeito Eugênia Carla do Monte Pereira (IMAGEM 7), exerce 40h de trabalho semanal como enfermeira do PSF e mais 40h de trabalho semanal como Coordenadora Pedagógica do município e a mesma sequer pisa em uma escola. Para os denunciantes isso é apenas uma pequena demonstração da farra que estão fazendo com as verbas da educação, que não tem condições de pagar o Piso Salarial aos professores da cidade.

IMAGEM 1
IMAGEM 1
IMAGEM 2
IMAGEM 2
IMAGEM 3
IMAGEM 3
IMAGEM 4
IMAGEM 4
IMAGEM 5
IMAGEM 5
IMAGEM 6
IMAGEM 6
IMAGEM 7
IMAGEM 7

 

Comentários

Tags

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close